Publicidade

Passando um dia em Sintra, Portugal


08/jan/2018 | Anielle Casagrande | # | Comente!

Caso esteja em Lisboa e queira uma ótima dica de onde passar um dia especial e longe do agito da capital, aqui está. Eu já havia visitado Portugal antes, inclusive há posts nesse blog sobre isso (veja aqui). Gostamos tanto de Portugal no inverno que decidimos voltar a Lisboa, dessa vez em um apartamento ao invés de um hotel, por 7 dias.

Lisboa é acolhedora, linda, maravilhosa. Gosto muito mesmo da cidade, onde o inverno é ameno e lembra muito Curitiba. Não apenas na temperatura, mas também na loucura que é, tendo 4 estações em um único dia, como falamos na capital paranaense. E quando comparada à fria Alemanha, Portugal é o paraíso na terra durante o inverno!

De nossos 7 dias em Lisboa, reservamos dois para conhecer cidades medievais próximas que ainda não conhecíamos: Óbidos e Sintra. Hoje quero falar apenas sobre a segunda, que é de facílimo (e baratíssimo!) acesso e tem muita coisa pra visitar. Se estiver montando um roteiro para Lisboa e tiver um dia livre, não tenha dúvidas na hora de inserir Sintra.

De Lisboa a Sintra

Não poderia ser mais fácil e rápido ir de Lisboa a Sintra. Existe um trem que sai da estação Rossio e te leva até lá em apenas 45 minutos. Ida e volta custa menos de 5 euros por pessoa. As estações são bonitas, amplas e limpas. Andar de trem é uma experiência agradável em Lisboa!

Lembre de ficar atento aos horários disponíveis para ir e voltar, para não perder tempo na estação a toa. Você pode conferir os horários no google maps, no guichê de informações nas estações ou no site oficial cp.pt.

Roteiro em Sintra

Sintra é uma cidadezinha calma, perfeita para relaxar. Não sei se é sempre assim ou foi algo incomum, mas quando estive lá, estranhei que tinha muito menos gente que na capital ou em Óbidos, por exemplo. Achei isso ótimo, pois não havia locais lotados, como trem, ruas, pontos turísticos e restaurantes. Foi tudo muito tranquilo!

Descendo do trem na estação central de Sintra, ande pela Volta Duche. Nela, existem dois pontos turísticos para comer, seja na ida seja na volta: Café saudade, que é mais próximo da estação, e Queijadas da Sapa. Queijadas da Sapa é a mais antiga fábrica de queijadas da cidade, com mais de 200 anos. O pequeno local permite conhecer e saborear diversos doces da região, como queijadas e travesseiros. As queijadas são minha grande paixão! Já no Café saudade, você pode ter refeições salgadas, por exemplo com tostas (misto quente, queijo quente etc).

Seguindo a rua, você passará por locais lindos e antigos, e se olhar para o alto dos morros verá castelos. Também será possível ver o Palácio nacional de Sintra, com suas duas grandes torres brancas. Da estação até ele, são apenas 10 minutos a pé. Chegando lá, estará no centrinho da cidade, onde pode comprar souvenires, almoçar e conhecer algumas bebidas da região. Gostei muito do licor de amêndoas com limão e também aproveitei para tomar ginjinha em copo de chocolate, que é um licor de uma fruta parecida com a cereja. Claro que no final você come o copo!

Também é no centrinho da cidade que fica Piriquita, uma fábrica muito antiga e tradicional de doces portugueses. Recomendo que experimente queijadas e travesseiros, novamente. Diferente da Sapa, aqui tem lugares para sentar, muitos atendentes e muitas opções de doces. E claro, muito mais turistas e uma fila maior. Mas vale a pena!

Daqui do centrinho, você pode ir a pé ou de ônibus até diversos pontos turísticos. Eu optei por ir a pé até a Quinta da Regaleira, onde passei a tarde andando sem pressa. Por isso, acabei optando por não conhecer nenhum dos castelos da região. Porém, caso deseje, há diversos ônibus com destino a alguns castelos. Lembre de planejar tudo antes e conferir os trajetos no mapa (surgiro o google maps, onde também é possível ver qual ônibus pegar e até o preço).

Segue a lista de castelos que podem ser visitados:

  • Palácio da Vila
  • Castelo dos Mouros (ônibus 434)
  • Palácio da Pena (ônibus 434)
  • Palácio de Seteais
  • Palácio de Monserrate (ônibus 435)
  • Palácio de Queluz

Castelo dos Mouros ao fundo!

Quinta da Regaleira

Saindo do palácio nacional no centrinho da cidade a pé, leva apenas 14 minutos para chegar até a Quinta da Regaleira. A entrada custa 6 euros para adultos e você recebe um mapa do local. Quando você entrar vai entender por que passei a tarde toda aqui!

Os primeiros registros da propriedade são do século XVII e a maioria das construções atuais são do início do século XX. Trata-se de um palácio cercado de parques, grutas, jardins e outras construções incríveis como torres e uma pequena capela. Mesmo no inverno, o local estava lindo e florido, inclusive com muitas plantas diferentes.

A parte mais interessante são as grutas com caminhos subterrâneos. Mesmo quem tem medo de escuro ou claustrofobia pode passear por eles, pois são bem sinalizado com placas e tambem iluminados. É possível acessar diversos locais através desses acessos secretos, como por exemplo o poço iniciático. Como são ambientes úmidos, vá de tênis ou bota, ou olhe sempre por onde anda.

A visita ao palácio é incrível, mesmo o segundo andar estando interditado durante nossa visita. Dentro dele é possível conhecer mais sobre a história do local e de seus proprietários e seu arquiteto. O local é muito bem preservado, sendo possível admirar moveis, paredes, tetos, quadros e pequenas estátuas. Até os puxadores das portas e janelas são lindos. Os jardins também são um deleite! Como já disse, tudo muito bem cuidado e agradável em toda propriedade.

Palácio da Pena e Castelo dos Mouros vistos da Torre da Regaleira

 

#

Novidades por e-mail

Receba textos novos por e-mail


Publicidade
^
subir
anicasagrande.com.br